• Selak

Problemas ao pintar em períodos com muita umidade e calor

Chuva intensa e persistente, além da alta temperatura, complicam cura de revestimentos



Sabemos bem que cada projeto aprovado tem prazos bem definidos de aplicação e entrega. No entanto, o clima às vezes atrapalha os planos e determina se um serviço de aplicação, seja de tinta ou verniz, terá um processo de cura em condições ideias propostas pelo fabricante.

Assim, quando se encontrar com essas condições "adversas", lembre-se da prática de alguns cuidados que o ajudarão com o resultado desejado, principalmente em ambientes úmidos e quentes, como o das últimas semanas.


Em dias de chuva intensa e com alta temperatura, quais problemas é necessário evitar durante a aplicação?


Como já foi explicado acima, a alta temperatura e condições úmidas são problemas na aplicação de revestimentos, sejam eles catalisados, hidrossolúveis, coloridos ou incolor.

A diferença do frio, que engrossa a tinta e o verniz, tornando-o pegajoso e difícil de aplicar, a alta temperatura em ambiente fechado faz com que o revestimento tenha um processo de secagem muito mais rápido, provocando um acabamento com brilho em excesso e refletindo as demãos ou pinceladas na superfície.



Quais os problemas de acabamento que isso pode trazer?


Em um dia de muita chuva, com muita umidade concentrada no ambiente, todo o processo de preparação, aplicação e cura se verão afetados.

Nos revestimentos que devem ser diluídos, o solvente tem a tendência em ficar mais tempo na tinta, podendo atacar o substrato, resultando em desplacamento, acabamento casca de laranja ou até alguma eventual deformação.


Nos catalisadores das tintas PU alifático ou aromático, o excesso de umidade ambiente traz uma imperceptível perda de efeito, porém, a secagem é mais demorada e a cura sensivelmente mais longa, podendo não ter total dureza e resistência.


No caso dos vernizes retardantes de chama, laca ou nitro, o excesso de umidade no ambiente de trabalho trará riscos de formação de "blush", um tipo de névoa esbranquiçada que faz o produto ficar fosco ou com algumas manchas brancas.

Nas lacas nitro celulose, a umidade tende a deixar o acabamento mais fosco, sem o brilho esperado.


Essa mistura de fatores, muitas vezes inadvertidos, provocam não só perdas de tempo e maior desgaste no profissional aplicador, mas também resultados não satisfatórios, tempos de cura além esperado e, o que é pior, potenciais acúmulos de umidade entre camadas, afetando a resistência do produto e sua aderência ao substrato.


Recomendações


Tenha sempre em mente que a orientação é evitar aplicar em locais ou ambientes com umidade extrema, alta temperatura ou ambas. O ideal é trabalhar em um ambiente controlado, com umidade relativa de do ar entre 60% e 65%, com margem de até 85% ,máximo, que já é um valor muito alto. A temperatura média ideal deve estar entre 10º e 24º, dependendo do local, seja ele interno ou externo.


Determinação da aderência
NBR 11003/2009

Para ter a melhor informação, você pode adquirir um medidor de temperatura e umidade, com valores entre R$ 30,00 e R$ 200,00, dependendo do tipo, marca e funções, ou baixar um APP no seu celular, que também lhe ajudará com essas informações preliminares antes da execução do serviço.

Por último e mais importante, lembre-se que o tempo de cura de um produto pode aumentar em até 30% fora das condições ideais mencionadas acima. Logo, em caso de dúvidas, o melhor caminho é seguir à risca as recomendações da empresa fabricante, geralmente indicadas na embalagem ou na documentação técnica entregue do produto.



.