• Selak

AGESTAB e Polícia Militar entregam placas e faixas do Programa Vizinhança Solidária Empresarial

Na última quarta-feira 23 de março foi concluída a terceira fase do projeto Vizinhança Solidária, em cerimónia realizada na empresa Selak Tintas e Vernizes, na região industrial do Taboão, Mogi das Cruzes.


A chegada do programa na área industrial do Taboão foi possível graças ao trabalho realizado pela AGESTAB em parceria com o comando da Polícia Militar, em Mogi das Cruzes.


Polícia Militar e o Diretor da AGESTAB, Osvaldo Baradel

A diretoria da Associação Gestora do Distrito Industrial do Taboão - AGESTAB - e a Polícia Militar entregaram as placas e as faixas indicativas do programa aos empresários presentes, as quais serão fixadas nas entradas das empresas e indústrias e em pontos estratégicos do distrito.


O projeto "Vizinhança Solidária Empresarial" consiste em conscientizar aos empresários e funcionários sobre a importância e a responsabilidade de agir coletiva e ativamente em prol da segurança da área. O objetivo é o incentivo de ações de prevenção primária por meio da denúncia e ajuda mútua entre as empresas.


Para o presidente da Associação Gestora, Osvaldo Baradel, a participação de todos os empresários da região é muito importante: “Agradeço muito a Polícia Militar por ter adaptado o programa e proporcionado a instalação em um ambiente industrial. Também parabenizo os empresários, que entenderam que a força da AGESTAB está na união”.


Lilian Jobim, diretora da empresa Selak, avalia que o Vizinhança Solidária “traz benefícios para todos do Taboão”. “Com um sistema de segurança eficiente, nossos funcionários podem vir para o trabalho mais tranquilos, porque sabem que todos da comunidade estão empenhados em deixar a região mais segura”, afirmou. Já para seu Diretor Geral, Aldir Nunes, "É algo necessário, muito últil e vai nos trazer cada vez mais tranquilidade para o trabalho com a confiança de que o poder público está atuando do nosso lado".


Em relação à implementação do projeto, o capitão Mauricio Magalhães, comandante da 1ª Companhia do 17º Batalhão da Polícia Militar (BPMM), responsável pelo policiamento no distrito, elogiou a iniciativa da AGESTAB.


“O programa, sendo instalado a partir da união de empresários, já é uma referência no Alto Tietê e vamos trabalhar para ser uma referência estadual” - Capitão da PM, Maurício Magalhães.

Os índices de roubo de carga e de veículo, roubos com retenção de vítimas e roubos de transeuntes estão praticamente nulos no Taboão. São indicadores que já demonstram o sucesso desta parceria entre a Polícia Militar e os empresários”. O Capitão Magalhães também enfatizou que "Há um grupo de whatsapp que funciona em conjunto com os empresários e que até o momento não foi utilizado, mas que toda atitude suspeita poderá ser denunciada através do 190 ou do grupo de whatsapp. Entretanto, se houver imagens de alguma ocorrência denunciadas através do aplicativo, as viaturas poderão atender de maneira mais rápida e eficiente".


SEGURANÇA REFORÇADA


A AGESTAB tem se notabilizado na busca por ações que aumentem a segurança no Taboão. Por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP), a Associação Gestora instalou câmeras na Estrada do Taboão. As imagens são monitoradas 24 horas pela Central Integrada de Emergências Públicas (CIEMP), da Prefeitura de Mogi das Cruzes, pela Polícia Militar e, recentemente, pela Polícia Civil. A AGESTAB estuda, agora, a ampliação no número de câmeras.


CONHEÇA MAIS


O Vizinhança Solidária Empresarial consiste na realização de palestras de conscientização sobre a importância da prevenção primária e sobre as medidas básicas de segurança pessoal e comunitária, além da realização de visitas comunitárias e solidárias por parte dos PMs. Após a capacitação promovida pelos policiais, tutores serão indicados.

Os tutores têm um papel chave dentro do projeto. São eles os responsáveis por multiplicar e reciclar as orientações repassadas inicialmente pelos policiais. Eles também farão a intermediação entre os núcleos do projeto a serem criados no Taboão e irão manter contato direto com a Polícia Militar.

O critério para definição dos núcleos é a questão territorial, a proximidade das indústrias. Os integrantes do núcleo passarão a ter um contato mais próximo, visando a troca de informações sobre eventuais ocorrências e situações suspeitas e a adoção de medidas preventivas. Esta comunicação será realizada por meio de aplicativos de troca de mensagens, redes sociais e telefonemas. A coordenação do programa seguirá as determinações da PM.

A entrega das placas e das faixas de orientação, com frases como “Distrito monitorado por Vizinhança Solidária”, encerram esta etapa de implementação do programa.


Fonte: AGESTAB